sábado, 18 de junho de 2016

Rito da Lua Cheia

A tradição do Rito da Lua, todo mês, em Terra Mirim, já acontece há mais de 15 anos. Os espaços dos quatro elementos, as quatro direções, as Xamãs, a fogueira, as histórias que habitam esse lugar, tudo isso faz com que cada encontro de celebração seja um momento muito especial e imantado pelas forças da Deusa Mãe. A Mãe Natureza é mestra e a avó Lua abençoa. Hey Grande Espírito, Hey Grande Mãe, Hey Xamã! 
 

Avó Lua

Direção Oeste: A ESPIRITUALIDADE FEMININA

Todas nós viemos da Deusa e a Ela retornaremos como gotas de chuva fluindo para o oceano. A Deusa é representada em todo ato de criação, da Natureza ou da vida feminina, na eterna roda de nascimento, crescimento, florescimento, amadurecimento, declínio, morte e renascimento; na dança mutável das estações, nas fases da Lua, na trajetória anual do Sol... Nesse Rito teremos como tema central a liberdade de escolha sob a pespectiva do Olhar da Deusa Mãe. 

Programação prevista (sujeita a alterações):

  • Roda Xamânica Templo da Terra
  • Cerimônia da Purificação
  • Cabana da Purificação
  • Banho de Ervas Medicinal
  • Finalização do Rito
  • Compartilhando o Alimento Sagrado
  • Despedida

O quê: Rito da Lua 
Onde: Fundação Terra Mirim, BA 093, KM 07 (a 25 min. de Salvador). Para indicações, é só ligar. 
Dia: 16 de Julho  
Hora: 19h30min às 00h
Focalização: Xamã Andiara Leão, Ylle e Beuh nos tambores
Colaboração: R$80 (Pernoite opcional R$30, sem desjejum temporariamente). Agradecemos e solicitamos a reserva prévia, já que temos que arrumar acomodações para todos/as. Aproveite o desconto da antecedência!
O que trazer: Toalha ou canga, roupa de banho. 


Favor agendar presença!
71. 3199-2897

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Rito da Lua Cheia

A tradição do Rito da Lua, todo mês, em Terra Mirim, já acontece há mais de 15 anos. Os espaços dos quatro elementos, as quatro direções, as Xamãs, a fogueira, as histórias que habitam esse lugar, tudo isso faz com que cada encontro de celebração seja um momento muito especial e imantado pelas forças da Deusa Mãe. A Mãe Natureza é mestra e a avó Lua abençoa. Hey Grande Espírito, Hey Grande Mãe, Hey Xamã! 
  
RITO DA LUA CHEIA


Direção Sul é o portal da aceitação, do processo criativo de receber e aceitar a vida como ela é. Quando vamos aprendendo, tocando nesse estado de aceitação e rendição, nossa criança interior também relaxa, dissipando mais os medos, e o nosso animal interno fica mais fortalecido para enfrentar os desafios do cotidiano. Alegria, equilíbrio. Balizamento. Esses serão os temas que iremos trabalhar e vivenciar na luz e na força viva da Natureza Xamânica. Na fogueira vamos celebrar a energia de cura de São João... Acender mais e mais a chama viva do nosso coração! 

Programação prevista (sujeita a alterações):

  • Caminhada no portal da Direção Sul
  • Fonte da Guia
  • Cabana da Purificação
  • Banho de ervas medicinal
  • Dança Xamânica Sagrada
  • Despedida

Hey XamAM!!!


O quê: Rito da Lua 

Onde: Fundação Terra Mirim, BA 093, KM 07 (a 25 min. de Salvador). Para indicações, é só ligar. 

Dia: 17 de Junho  

Hora: 19h30min às 00h

Focalização: Xamã Andiara Leão, Ylle e Beuh nos tambores

Colaboração: R$80 (Pernoite opcional R$30, sem desjejum temporariamente). Agradecemos e solicitamos a reserva prévia, já que temos que arrumar acomodações para todos/as. Aproveite o desconto da antecedência!

O que trazer: Toalha ou canga, roupa de banho. 


Favor agendar presença!
71 3199-2897

segunda-feira, 16 de maio de 2016

24 anos, fina flor | A Voz dos Quatro Elementos



Neste ano de 2016, celebraremos 24 anos guiadas(dos) pelas cartas da Estrela e da Justiça. Terra Mirim tem a natureza como mestra. O tema deste ano foi inspirado na história/tradição da nossa XamAM e da própria tribo, A VOZ DOS QUATRO ELEMENTOS.
Localizada em um território da região metropolitana, onde a mata atlântica ainda resiste, o rio ainda corre, limpo e vivo – um território de força, mas um território ameaçado.  Neste encontro celebrativo teremos a instalação do nosso Museu Memória Comunitária (temporário), “Ritualizando a História - 24 anos de Terra Mirim”, e também estaremos reverenciando a renovação dos espaços sagrados de Terra Mirim. Muita arte, ritos, consciência planetária, ação e xamanismo.
Está garantida a comida boa, saudável e saborosa - mais uma celebração, a inauguração da Padaria Chás D'Avó. Teremos a exposição e vendas dos produtos cuidados da tribo: óleos para corpo, tintas de argila, hidrolatos, livros, CDs, mudas de ervas medicinais e nativas, húmus, frutas...

Gratidão, reverência, enraizamento! Dia 29 de maio (domingo), a partir das 13h30min. Confirme a sua presença! E-mail: comunicar@terramirim.org.br ou telefone - 71.3199-2897.

LISTA DE PRESENTES:
Assadeira alta em alumínio 
Balança digital para cozinha (7kg) 
Balde pequeno para uso na Fonte da Guia 
Balde tipo lixeira tam grande c/ tampa 
Bandeja em inox com alças 
Balde para água 20 litros 
Balde para água 15 litros 
Caldera 7,4, litros 
Caldeirão 10 litros 
Carro de mão 
Copos para água 
Corda pra balde (uso na fonte) 
Cuscuzeiro em inox TAM grande 
Cuscuzeiro em alumínio 3,5 litros 
Cestos c/ material de limpeza 
Desinfetante 
Detergente 
Esponja multiuso dupla face 
Envelopes com cédulas de 20 (vinte reais) 
Envelopes com cédulas de 30 (trinta reais) 
Envelopes com cédulas de 40 (quarenta reais) 
Envelopes com cédulas de 50 (cinqüenta reais) 
Envelopes com cédulas de 100 (cem reais) 
Facão 12" c/bainha 
Ferro para passar roupa 
Flanela para limpeza 
Frigideira 3 ovos 
Fruteira 
Garrafa térmica grande 
Garrafão térmico 5 litros 
Jg de talheres 
Lã de aço 
Limpa vidro 
Lixeira para pia 
Lixeira TAM G c/ pedal (tipo industrial) 
Luva multiuso em tecido TAM M ou G
Luva para forno (tecido ou silinone) 
Panela inox 
Panela inox média 
Pá para lavoura 
Panela de pressão - 7 litros 
Panos para limpeza de chão (saco) 
Pipoqueira 
Porta vassoura em armado 
Regador para jardim 
Rodo para banheiro 
Saco para lixo (30 litros) 
Saco para lixo (50 litros) 
Saco para lixo (100 Litros) 
Saleiro para parede 
Suporte papel toalha (para mesa) 
Tabua de passar roupa 
Tapete antiderrapante para porta 
Tesoura de polda (De força) 
Tesoura de polda (Para jardim) 
Tesoura para cortes de ervas e temperos 
Toalha de banho 
Toalha de mesa 6 lugares 
Toalha de mesa 8 lugares 
Toalha de rosto 
Toalha piso 
Torradeira (Grill) 
Troteira com fundo desmontável 
Varal de chão 
Varal de teto 
Vassoura de piaçava 
Vassoura em pp 
Vassoura para varrer folhas (ancinho, gadanho) 


domingo, 24 de abril de 2016

Rito da Mãe Ayahuasca



Data: 28 de Maio (vagas esgotadas!)
Período: das 18h às 10h do dia seguinte
Condução: Xamãs Dhan Ribeiro e Alba Maria
O que trazer: saco de dormir, lençol quentinho e frutas para o dia seguinte.
Local: Casa do Sol (se chover) ou Templo do Fogo (noite estrelada), em Terra Mirim.
Valor: R$170,00 (R$ 140,00 = desconto para aqueles que já participaram do rito com os xamãs condutores)

Informações sobre o rito da Mãe Ayahuasca

É muito importante chegar 3 horas antes do momento de comunhão da Mãe Ayahuasca começar (significa 15h), a fim de limpar o local e se harmonizar com o mesmo. O rito inicia entre 18h e 19h e finaliza dia seguinte, no mínimo às 10h30min. Outras informações que consideramos importantes sobre o nosso rito: O que fazemos tem uma conotação profunda de autoconhecimento, compreendido como percepção consciente da Presença do Divino em cada um/a. Seguimos o fio da Consciência de Ser, o que nos define como não seguidores de nenhuma religião ou seitas institucionalizadas. Nossa religião é a Mãe Natureza, que nos ensina, nos nutre e nos faz viver. Aquela que nos re-liga ao nosso interior. O valor que cobramos é devido ao fato de termos um longo caminho de jornada interior e por isso mesmo termos a clareza da necessidade de irmos além do rito em si, é a possibilidade de ofertar a cada pessoa a decodificação dos dizeres da Mãe durante o processo, fazemos assim pra que o ego que sempre está querendo se salvar não faça a interpretação dentro de suas próprias concepções e saia por aí, se achando, quando na verdade continua perdido. Por favor, nesse dia e no dia anterior evitem comer carnes e produtos animais. Tragam frutas para a partilha do dia seguinte, saco de dormir e outras coisas que considerem importantes para deitar. Não utilizamos nenhuma outra medicina em nossos ritos, portanto aqueles/as que têm o hábito de fazê-lo consideramos inadequado participar de nosso rito. Por favor venha vestido/a adequadamente para um rito, pensem, vocês vão encontrar com o Divino dentro de vocês. As cores das vestimentas podem ser coloridas. Minhas mães, irmãs, filhas e netas mulheres, venham com roupas que as deixem à vontade e que nos deixe também à vontade para trabalhar com vocês. Uma calça por baixo do vestido ou da saia é fundamental. Meus parentes homens procurem vir com calça ou bermuda e camisa confortáveis. Quanto ao pagamento (R$170,00 para quem vem fazer o Rito da Ayahuasca pela primeira vez ou R$140,00 pra quem já fez), o valor pode ser depositado na conta Banco do Brasil, Ag 2816-9, c/c 22999-7 (A.M.N.S.). Favor enviar o comprovante.

acolhimento@terramirim.org.br 


O poder de cura dos Banhos de Ervas


O PODER DE CURA DOS BANHOS DE ERVAS 

Esta vivência proporciona o resgate da sabedoria ancestral ao estudar, através dos banhos de ervas, a cura pela natureza. Serão dois dias em conexão com as plantas, conhecendo suas propriedades e aplicações.
Aprofunde sua consciência, mergulhando na energia de cura do reino vegetal!
Quem conduzirá esta vivência especial serão as madrinhas Ayná Corrêa (Aracaju/SE), Mhinana Reis e Zuca Alves.
  
Dias 27 e 28 de Maio, em Terra Mirim 

*INVESTIMENTO: R$ 300,00 (Trezentos reais) - inclui o Rito para a Lua
  • Para estudantes, há um valor especial: R$ 200,00 (Duzentos reais) - inclui o Rito para a Lua!

*A alimentação e a hospedagem são à parte, sendo responsabilidade do participante contactar o Acolhimento:acolhimento@terramirim.org.br ou 71. 3199-2897 (Kate).  

Faça já sua inscrição! As vagas são limitadas. 
"... A SINTONIA DO SER HUMANO COM A NATUREZA E CONSIGO MESMO". 
  71. 3199-2897 | comunicar@terramirim.org.br  

Rito da Lua

A tradição do Rito da Lua, todo mês, em Terra Mirim, já acontece há mais de 15 anos. Os espaços dos quatro elementos, as quatro direções, as Xamãs, a fogueira, as histórias que habitam esse lugar, tudo isso faz com que cada encontro de celebração seja um momento muito especial e imantado pelas forças da Deusa Mãe. A Mãe Natureza é mestra e a avó Lua abençoa. Hey Grande Espírito, Hey Grande Mãe, Hey Xamã! 
 
Elemento Terra: curando o Corpo Físico Plantando nossos sonhos no templo da Mãe Terra.

Nesse Rito, fechando o ciclo dos Quatro Elementos, iremos reverenciar, nutrir o corpo físico e o corpo da Mãe Natureza com Orações, cânticos, tambores e argila. 


Programação prevista (sujeita a alterações):


  • Contato com o corpo físico e com a força viva do animal de poder na cabana da purificação (Útero da Mãe Terra)
  • Plantar nosso sonho Semente no Templo da terra
  • Trabalho de cura com Argila
  • Banho de Erva Sagrada
  • Despedida
  • Lanche 


O quê: Rito da Lua 

Onde: Fundação Terra Mirim, BA 093, KM 07 (a 25 min. de Salvador). Para indicações, é só ligar. 

Dia: 27 de Maio

Hora: 19h30min às 00h

Focalização: Xamã Andiara Leão, Ylle e Beuh nos tambores

Colaboração: R$80 (Pernoite opcional R$55). Agradecemos e solicitamos a reserva prévia, já que temos que arrumar acomodações para todos/as. Aproveite o desconto da antecedência!

O que trazer: Toalha ou canga, roupa de banho. 





 Favor agendar presença!

acolhimento@terramirim.org.br 
71 3199-2897  

sábado, 23 de abril de 2016

Depoimentos e Mensagens

"Pessoal, em 1984 eu compus uma música inspirado no meu estado de espírito e na verdade como eu me sentia e a letra tinha um trecho que dizia: ...'Não há beco | Nem rua, buraco ou esquina | Em cima, embaixo, no meio, no fim. É inútil buscar um lugar mais seguro | Onde eu possa ficar, pra me livrar de mim'. 

De um tempo pra cá, tenho buscado muita paz e uma forma sustentável de vida, de alegria, de saúde e tenho conseguido melhorar, porém com a Escola de Sustentabilidade, nosso grupo e a Fundação Terra Mirim, esse processo foi catalisado de uma forma inefável, pois o convívio com a Mãe Natureza, a reflexão sobre a simplicidade e ao mesmo tempo a complexidade pronta e disponível dessa integração, têm me ajudado muito, tem me feito muito bem e por isso o trecho acima da música Eu e Eu passou a ser: ... 'Em qualquer beco, rua, buraco, esquina, em cima, embaixo, no meio, no fim | É possível, sim, buscar um lugar mais seguro | Onde eu possa ficar bem pertinho de mim'.

Nessa última semana, que começou com o encontro no terraço da Barra, onde assistimos o documentário I Am, mostrando a mudança de vida de um grande produtor cinematográfico, que  encontrou  a felicidade que antes não tinha, e logo em seguida com o contato com o grande professor, escritor e antropólogo Ordep, que com sua sabedoria nos contou estórias dos índios e uma série de casos do seu convívio, excita a gente, faz com que reflitamos mais sobre esses exemplos.

Depois tive na Comunidade Terra Mirim o contato com os elementos, terra, água, ar, plantas medicinais e os exercícios e participações, em grupo, com o compartilhamento de todos os ensinamentos e práticas que passam a fazer parte de nós e alegra nossa alma. Lembro de, durante a caminhada pela trilha onde visitamos a horta e o plantio das ervas, um contato afetuoso com as plantas que pareciam me acariciar, tocando no meu corpo, borboletas voando em minha frente, como se me conduzisse pelo caminho: Essa sensação é muito importante, é muito forte, faz um bem danado. O trabalho com a argila, tanto de pintar como de passar no corpo, o banho de ervas, o banho no rio, tem um significado muito acima do nosso conceito racional, pois está bem acima e é naturalmente Divino. Somando isso tudo a um estado de meditação com o Yoga Xamânico, bem conduzido por uma orientadora brilhante, certamente, propiciou a todo grupo um estado de espirito contemplativo e mais sensível na busca do encontro com nosso Eu Maior. Na verdade tudo que estamos aprendendo e compartilhando vai nos preparar para criar uma Comunidade Sustentável." - Asdrubal Alvim, Salvador. 



"Em uma atmosfera de simplicidade e reverência, entramos no viveiro da Terra Mirim com as xamãs Mhinana e Zuca, para que cada um/a escolhesse sua folha para o banho coletivo. Era 17 de abril e, sintonizados/as com o Brasil, pensamos que precisaríamos da força da Guiné, da calma da Água de Alevante, do descarrego do Quioiô, da beleza do Lírio branco do brejo e das florzinhas da Dama da Noite, entre outras. Andando pelo terreno da Mirim, fomos colhendo folhas e flores, e com ajuda das xamãs, preparamos o banho, num grande balde azul, com água do rio e folhas maceradas calmamente e coletivamente.

Por fim jogamos as flores que completavam a beleza do que fazíamos. Cada um de nós foi benzido em seguida por Alba e Mhinana, com a água da jarra que saía do grande balde e escorria pelo nosso corpo em união profunda da nossa Natureza com a da Grande Mãe, e ouvia as palavras carinhosas e encorajadoras que um/a colega pronunciava em nossa homenagem. Gratidão Alba e comunidade de Terra Mirim." - Débora Nunes, Salvador.  


"Queridos Alba Maria (Jamileh - que significa beleza em Árabe) e Dhan,


Vocês ainda estão comigo desde que nos conhecemos e me sinto muito abençoada de ter conhecido vocês. Eu também tenho muito carinho pelos laços que tenho com a minha irmã Thais por quem nutro grande respeito e confiança. Ela me guiou até vocês…

A alegria que se revelou não apenas pela ayahuasca mas por toda a minha jornada ainda esta em mim. Eu nunca senti essa paz interior, é um sentimento novo que ainda estou aprendendo e vendo como se acomoda em meu corpo. No dia da Cabana eu chorei sem parar, e na ayahuasca eu não conseguia parar de sorrir. Parte de mim morreu naquele solo com minhas lágrimas, suor e sangue escorrendo na terra. Eu me encontrei renascendo na ayahuasca, com a lua revelando uma nova eu renascida.

Ainda estou observando meu comportamento e sentimentos após retornar, existe um sentimento de incerteza no ambiente que me cerca. Meus sentidos estão bastante aguçados e embora eu sinta tranquilidade em mim e muita calma e alegria, eu estou muito sensível as energias projetadas por tudo que me cerca. Me sinto viva!

Uma observação é sobre eu e Anas atravessando a fronteira que liga a Jordânia e Palestina, controlada pela ocupaçnao Israelense. Toda a minha vida eu temi essa travessia, eu tinha dor de estômago e atravessava com muita raiva em mim.  Eu estava sempre preocupada quando eles me revistavam, minhas coisas, meu corpo. Desta vez o sentimento foi diferente. Senti que finalmente eu tinha algo que eles não podiam tocar ou ter. Eu carreguei essa energia positiva que era tão poderosa a ponto de eu e Anas estávamos literalmente rindo e todos os soldados tinham um olhar confuso quando olharam para a gente. Eles não souberam como lidar com a gente e pela primeira vez senti pena deles! Eles estavam oprimindo a si mesmos! é tão simples, eu tenho essa energia maravilhosa que estou compartilhando com tantos outros aqui na Palestina e eles não podiam parar ou alcançar!

Gratidão pelo seu acolhimento, vocês estão comigo assim como eu estou com vocês, morando nela." - Noora Baker, Ramallah | Palestina. 





"O cavalo é uma criatura que possui a habilidade de encontrar seu caminho de volta para casa, no entanto meus pés podem somente seguir a sombra! Eu não confiei em cavalgar o cavalo quando ele começou a esfregar seu casco na pedra do meu coração e ele continuou cavando para dentro da minha cabeça para encontrar seu caminho e permitir que a luz entrasse… isso foi na noite do dia 20 de Fevereiro. Dois dias depois, eu perdi a aposta, os corações de Troia foram libertados e abertos diante de suas muralhas, manifestados na Ayahuasca. Somente então eu escutei a voz da minha mãe sussurrando no meu ouvido direito: abra o seu coração para o vento para que as borboletas possam voar.

No início eu acreditei no meu desejo, e depois de um tempo não havia motivos para abrir meus olhos novamente, eu fiquei a noite inteira de olhos fechados. as asas do vento estavam carregando as pedras do deserto tudo na minha presença, e dai havia os cavalos, somente os cavalos.

A Ayahuasca não me deu nada, ela abriu a ignorância do meu coração para tudo ao meu redor e falou comigo: escolha o que você puder, pois essa é a verdade. Naturalmente eu vou chorar, pois quando você se encontra pela primeira vez você também encontra o universo pela primeira vez. Você esquece todas as armadilhas da sua vida quando aprende a caminhar e a Ayahuasca segura você pela mão e te ajuda a caminha por elas novamente um passo de cada vez, enquanto você canta: caminha a trilha dos anjos em sua descoberta por Deus.

Eu atravessei essa jornada e continuo suspenso nela. Todas as experiências da minha vida passaram deixando um efeito sutil na minha alma e mente, mas não essa. Ela continua em mim, absorvendo todos os enigmas que eu girava em torno do universo, e ela se cravou no meu corpo, dando a ele a batida da vida e me permitindo ver através dele o outro lado do universo. Você começa a ver cores ao invés de preto e branco. Quando você começa a compreender o que  vê, tudo que resta fazer é chorar e então você grita para o céu: de que forma eu tenho vivido minha vida?! Dai a Ayahuasca vem calmamente, uma mulher por volta dos seus 70 anos e toca seu ouvido esquerdo e te fala: deixe a chama dos cavalos e deixe o passado apenas como uma razão para chorar. Dai tire os seus sapatos porque você está destinado aos céus "você passou esse tempo todo perdido nos labirintos, e ele finalmente te trouxe até aqui, para o seu primeiro renascimento."

Quantas vezes um ser humano pode renascer? Quantas vezes você pensa em vão que o medo é o caminho do conhecimento? E esse sentimento de abismo é maluquice? Quantas vezes você vai acreditar que cair do abismo é liberdade e que o medo é um produto do sistema que tem o objetivo de controlar nossas emoções, e que a estrada para o amor é pavimentada com espinhos.

Minha escrita para vocês nunca vai terminar pois vocês trouxeram luz para a minha vida…" - Anas Abu Oun, Ramallah | Palestine